Lindos Pássaros

domingo, 19 de maio de 2013

TURACO LEUCOTS



 Nome Popular:       TURACO LEUCOTS
 Nome Científico:   Tauraco Leucots
 Categoria:              Aves Ornamentais
 Subcategoria:         Outras Aves


 Tauraco leucotis é uma espécie de ave da família Musophagidae.


Os turacos compõem o pássaro família Musophagidae (literalmente "banana-eaters"), que inclui banana -eaters e ir-fora-pássaros. Na África Austral, tanto turacos e ir-fora-aves são comumente conhecidos como louries. Eles são semi-zygodactylous - o quarto dedo do pé (exterior) pode ser mudado e para trás. O segundo e terceiro dedos dos pés, que sempre apontam para a frente, são conjugados em algumas espécies. Musophagids muitas vezes têm proeminentes cristas e as caudas longas, os turacos são conhecidos por peculiares e únicas pigmentos , dando-lhes as suas penas verdes e vermelhos brilhantes.

Tradicionalmente, este grupo tem sido aliado dos cucos nas ordem Cuculiformes , mas a taxonomia de Sibley-Ahlquist eleva este grupo a um Musophagiformes ordem completa. Eles têm sido propostos para vincular a cigana às outras aves vivas, mas foi mais tarde discutida.
Feminino Branco-inchado vai-away-bird , Corythaixoides leucogaster

Musophagids são aves arborícolas médias endêmicas para sub-saariana África , onde vivem em florestas , bosques e savanas . Seu vôo é fraca, mas eles correm rapidamente através da copa das árvores. Eles se alimentam principalmente de frutas e, em menor medida, folhas, brotos e flores , ocasionalmente tomando pequenos insetos , caracóis e lesmas . Ao contrário do que o nome pode sugerir, eles geralmente não comer bananas ou plátanos e de fato musophagids selvagem de vida não parecem usar Musa como comida.

Eles são aves gregárias que não migram. Muitas espécies são barulhentos, com o Go-fora-pássaros sendo especialmente notáveis ​​por seus penetrantes chamadas de alarme , que alertam outros fauna à presença de predadores ou caçadores ; seu nome comum refere-se a isso. Musophagids construir ninhos vara em grandes árvores, e colocar 2 ou 3 ovos . Os jovens nascem com grossa e abrir, ou quase aberta, os olhos. 


Morfologia

Os turacos são, na maior parte pássaros de tamanho médio (a exceção sendo o grande Great Blue Turaco ) com longas caudas e asas curtas, arredondadas. Eles variam em comprimento 40-75 cm (16-30 cm). Seu vôo é fraca, mas eles são escaladores fortes e são capazes de mover-se agilmente em ramos e através da vegetação. Eles têm um arranjo de pé exclusivo, em que o quarto dedo pode ser trazido para a parte traseira do pé, onde quase tocar o primeiro dedo do pé, ou posta em torno de modo que ele está próximo do segundo e terceiro. Apesar desta flexibilidade do dedo do pé é, na verdade, habitualmente realizada em ângulos rectos em relação ao eixo do pé.

A plumagem do Go-fora-pássaros e banana-comedores é principalmente cinza e branco. Os turacos por outro lado, são aves coloridas, geralmente azul, verde ou roxo. A cor verde na turacos vem turacoverdin , o único verdadeiro verde pigmento nas aves conhecidas até à data. Outras "greens" de cores de aves resultar de um pigmento amarelo, tais como alguns dos carotenóides , combinada com a estrutura física da própria prismática pena que dispersa a luz de uma forma particular, e que dá uma cor azul. Asas Turaco conter o pigmento vermelho turacin , ao contrário de outras aves, onde a cor vermelha é devido aos carotenóides. Ambos os pigmentos são derivados de porfirinas e conhecidos apenas a Musophagidae no presente, mas sobretudo o turacoverdin pouco pesquisado pode ter parentes em outras aves. A incidência de turacoverdin em relação ao habitat é de interesse para os cientistas, estando presente em espécies florestais, mas ausente em savanas e acácia espécies vivas.

Pouco se sabe sobre a longevidade de turacos silvestres em cativeiro, mas eles estão provando ser excepcionalmente longa, facilmente viver até 30 em cativeiro. Um pássaro na coleção de Cotswold Wildlife Park originalmente de Nigel Hewston discutido na ITS AGM, na Primavera de 2012 (no mesmo local), foi se aproximando de seu 37 º ano.






FAISÃO DOURADO


 Nome Popular:     FAISÃO DOURADO
 Nome Científico:  Chrysolophus pictus
 Categoria:            Aves Ornamentais
 Subcategoria:       Faisão

Faisões Dourados
• Ordem:       Galliformes
• Família:      Phasianidae
• Subfamília: Phasianinae
• Gênero:      Chrysolophus
• Taxonomia:Chrysolophus pictus

Os Faisões Dourados vêm das montanhas de China Central.
O macho e fêmea são altamente dimorficos suas plumagens diferem grandemente, principalmente entre aves adultas, entre os filhotes começa a diferenciação por volta de 90 dias, e torna-se completa após um ano quando o macho atinge todo seu esplendor a plumagem do macho funciona como afrodisíaco para as fêmeas durante o namoro, existe todo um balé por parte do macho, dançando em volta da fêmea esparramando sua bela capa, entortando seu corpo para aparecer maior, mostrando todas suas cores e assobiando.

 A coloração brilhante e colorida do macho também serve como chamativo para os predadores, enquanto a camuflagem da fêmea serve como segurança enquanto esta chocando.

Este cortejo começa ao final do mês de Agosto, ocorrendo o início da postura em Setembro, normalmente a fêmea tem dois ciclos de postura, cada uma com cerca de 5 a14 ovos, mas se os ovos forem retirados, esta postura pode chegar até o total de 50 ovos.

A fêmea ira chocar os ovos em cativeiro somente se tiver uma grande segurança, isto só ocorre em grandes viveiros ou com aves soltas (asa operada) em um grande jardim cercado com muita vegetação para segurança visual e livre de cães e gatos.

No caso de choca artificial, esta deve ser feita em uma boa chocadeira.
Os filhotes nascem com 23 dias de choca, se for natural a faisoa aguarda de dois a três dias para sair do ninho com todos os filhotes mais espertos, já a procura de comida, chamando os filhotes com pios apanhando a comida no bico e esperando que os filhotes o biquem.

 Os jovens começam a voar de 10 a 14 dias e se tornam muito espertos, são muito inteligentes, podemos considerá-los semi domésticos, pois quando jovens aceitam nossa aproximação e isso será muito mais fácil dando um punhado de verdura picada, já os adultos são mais cautelosos não aceitando a manipulação mantendo uma distância segura de cerca de um braço, mas são curiosos e estão sempre nos rodeando quando estamos no jardim.

Os Faisões Dourados não são agressivos e vivem pacificamente entre eles, gastam bastante tempo fazendo seus namoros, mas devemos tomar o cuidado quando temos em um viveiro pequeno, somente um casal, pois o macho na época de acasalamento pode acabar judiando da cabeça da fêmea devido o excesso de gala, por isso o recomendável é manter um macho para três fêmeas, mesmo assim o viveiro deve ser provido de poleiro e se mesmo assim a fêmea estiver apanhando devemos colocar um arbusto seco de cabeça para baixo em um dos cantos do viveiro para que ela possa se esconder.

 Sua criação é muito fácil sendo aconselhado para iniciantes, podem conviver com outras aves, menos com outros faisões de espécies diferentes.

 

MARRECO CAROLINA


 Nome Popular:     MARRECO CAROLINA
 Nome Científico:  Anas sponsa linnaeus
 Categoria:            Aves Ornamentais
 Subcategoria:      Aves Aquáticas
 

Habitat-América do norte a oeste de Cuba. Notas descritivas. 43-51 cm 482-879 grs O macho, é exuberante em sua plumagem adulta, e após a época de procriação entra em processo de muda da plumagem. A fêmea possui a plumagem igual a plumagem transitória do macho. Contudo é fácil identifica-la pois ela possui um arco branco em torno dos olhos, as plumas da bochechas são diferenciadas e existem sombras marrons na cabeça. Todavia essas características são variáveis. A plumagem juvenil, lembra a plumagem da fêmea, porém a barriga é mais listrada e manchada na cor amarelada e marron.

HABITAT
Lagos de água doce, brejos, pântanos, rios calmos sempre rodeados por densa floresta.

ALIMENTAÇÃO
Sementes, castanhas, plantas aquáticas, plantas forrageiras, mergulham para capturar pequenos moluscos e plantas que vivem na água e adoram pastar em terra firme. Em cativeiro, alimentam-se de ração de galinha, sendo: Até 1 mês ração inicial. Após 1 mês ração de crescimento. Na reprodução recomenda-se ração de reprodução ou postura. Se quiser, forneça-lhes ração de cachorro adicionalmente como complemento na época de acasalamento. Se possivel deixe-os pastar.

REPRODUÇÃO
A época de reprodução do marreco Carolina no Brasil é de setembro a fevereiro, sendo que a maior parte dos casais começam a incubação em novembro. Normalmente a fêmea põe um ovo após o outro, o número pode chegar a 11 sendo bastante comum encontrar um número de ovos bem próximo deste. A melhor maneira de cria-los em cativeiro é deixar que os pais os choquem porque todo palmípede necessita muita umidade. Ocorre que ao nascerem em incubadoras tornam-se muito ariscos o que ocasiona muitos acidentes de manejo. A porcentagem de eclosão é superior a 80 %. Algumas vezes podem ocorrer duas posturas principalmente, se a primeira ninhada ocorrer no começo de setembro. Os filhotes são pardos e muito estressáveis. a cor é cinza, branco e marrom. No primeiro ano de vida possuem a coloração semelhante a da fêmea. Já no segundo ano está apto a reproduzir-se. É uma ave muito resistente, com baixa mortalidade. Precisamos estar atentos quando os filhotes nasçam se a fêmea fica muito ciumenta e neste caso retira-se o macho para que ela não o machuque.

COMPORTAMENTO
O carolina é uma ave muito fácil de ser domesticada. A princípio, é arisco mas se for mantido em contato com movimento tornam-se bastante mansos. Existem relatos que o carolina torna-se animal de estimação. Em 1.913 esteve práticamente extinto em seu habitat devido a grande perseguição por caçadores. Graças a criação de quintal, onde fazendeiros os mantinham para fins ornamentais onde foi reintroduzido com muito exito. O nome científico ém latim Aix sponsa significa vestido de noiva, uma justa homenagem a sua linda plumagem.

CARDEAL DO SUL



 Nome Popular:     CARDEAL
 Nome Científico:  Paroaria coronata
 Categoria:            Aves Ornamentais
 Subcategoria:       Pássaros


Nome Comum: Cardeal-do-sul.
Distribuição: Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.
Habitat: Bordas de arrozais, campos com vegetação alta e bordas de matas.
Características: 18cm de comprimento.


Pássaro de extraordinária beleza física e sonora. Os cardeais são territorialistas no período de reprodução e, assim como a maioria dos pássaros canoros, formam bandos na época de muda.

Hábito alimentar : Granívoro.
• Farinhada no.1 Fêmeas em reprodução: mistura de 50% de fubá grosso de milho e 50% de ração de codorna (postura).

• Sementes Diariamente: Alpiste (40%), painço amarelo (20%), arroz com casca (20%), aveia (10%) e girassol (10%).

• Farinhada no.2 Para fêmeas com filhotes e pássaros na época de muda: mistura a base de ovo cozido, flocos de milho pré-cozidos e farelo de soja (submetido a processo industrial de tostagem).

• Água Filtrada, renovada diariamente, em bebedouro limpo. Poli-vitamínico 3 vezes por semana, no bebedouro.

• Alimento vivo Até 30 larvas de Tenebrio molitor/dia por fêmea com filhotes.

• Areia Limpa, esterilizada, podendo ser fornecida junto com um complexo mineral.

Período de reprodução: Primavera e verão. Gaiola do reprodutor 50cm de comp. x 40cm de alt. x 40cm de larg.
Período de descanso: Outono e inverno. Gaiola da matriz 80cm de comp. x 40cm de alt. x 40cm de largura.
Fêmeas e filhotes Não há dimorfismo sexual. Imaturo pardacento, com topete ferrugíneo.
Ninho Tipo taça, feito em arame e bucha vegetal, com 12cm de diâmetro e 6cm de profundidade. Maturidade sexual 10 meses. Material p/ ninho Sisal, raíz de capim, crina de cavalo. Incubação 2 a 4 posturas/temporada, 2 a 3 ovos/postura, 13 dias de incubação, podendo os filhotes serem separados da mãe aos 35-40 dias de idade. Anel No. 5.