Lindos Pássaros

sábado, 27 de outubro de 2012

PINTOR VERDADEIRO



PINTOR VERDADEIRO

A saíra-pintor-verdadeiro (Tangara fastuosa) é uma ave passeriforme da família Thraupidae. Também conhecida como pintor, sete-cores-do-nordeste e saíra-pintor.

Características

Mede por volta de 13 cm e é um dos poucos traupídeos que apresentam tons de roxo-violeta e alaranjado na plumagem. Há um dimorfismo sutil entre os sexos, que para olhos mais treinados resolvem os problemas para a sexagem em campo. Basta expor as aves sob a luz do sol, quando recém coletadas na Natureza para estudos e soltura, e olhando-se atentamente de cima, nota-se claramente a tonalidade azul-clara metálica da cabeça do macho, diferente da fêmea, que possui tonalidade verde-amarelada metálica. Outro detalhe é que quase sempre os machos possuem cabeça um pouco maior que a das fêmeas.
A saíra-pintor ou pintor-verdadeiro (Tangara fastuosa) é uma ave que atinge 13,5 cm de comprimento. A sua alimentação básica, em ambiente natural, consiste de pequenas frutas, bagas e insetos que recolhem nas folhagens e ramos. É uma espécie endêmica da região Nordeste do Brasil. Ocorre no litoral dos estados de Pernambuco a Alagoas e também no Rio Grande do Norte. Tem o seu habitar nas porções remanescentes de Mata Atlântica, no Nordeste.
Tem como principais características, o seu bico cônico, triangular na base. O seu ninho tem a forma de uma taça rasa e é construído nos galhos de árvores. Põe 3 ou 4 ovos, com cerca 15 a dezessete dias de incubação. Atinge a maturidade sexual aos doze meses de vida. O seu período de reprodução estende-se da Primavera ao Verão. Quase não há dimorfismo sexual aparente nesse espécie, sendo apenas a cabeça do macho, de tom levemente mais azulado que a da fêmea. São fortemente territoriais e agressivos com outros da espécie, principalmente no período de acasalamento. Exemplares mantidos em cativeiros conservacionistas apresentaram reprodução com relativa facilidade, favorecendo o repovoamento de áreas degradadas..

Estado de Conservação

As populações da espécie só existem no litoral de Pernambuco e Alagoas e Rio Grande do Norte.. Foram ao longo dos anos muito perseguidas pelos criadores de pássaros. Hoje elas estão em perigo de extinção, dado principalmente à forte pressão de caça para abastecer o comércio ilegal de aves silvestres e também à degradação de seu habitat.






GALO-DA-SERRA


Galo-da-serra
O Galo-da-serra (Rupicola rupicola), Linaeus 1766, é uma ave passeriforme da família Cotingidae.

Habitat
Ocorre em regiões montanhosas e florestais do extremo Norte do Brasil, Amazonas, Pará, Roraima, regiões sul e sudoeste da Guiana, sul da Venezuela, Suriname e Guiana Francesa e leste da Colômbia. Chegam a medir até 28 cm de comprimento; os machos possuem exuberante plumagem alaranjada, uma proeminente crista em forma de meia-lua que cobre o bico. As fêmeas, por sua vez, possuem plumagem marrom-escura com crista menos evidente. Também são conhecidos pelos nomes de galo-da-rocha e galo-da-serra-do-pará.
Vive e habita as florestas escarpadas entrecortadas por igarapés e pequenos cursos d´água.

Acasalamento
Rupicola peruvianus -San Diego Zoo, USA -femea-8a
O ritual para a escolha dos pares é um espetáculo extraordinário. Na época reprodutiva os machos se agregam formando os leks. As arenas, local onde os machos fazem displays, são compostos por pequenas clareiras que são abertas involuntariamente por eles, durante as exibições individuais. Os machos descem para as clareiras onde são feitos os cortejos e as exibições não ocorrem ao mesmo tempo, devendo haver alguma hierarquização entre eles que determina quem é o primeiro. Não ocorre exibição de mais de um macho ao mesmo tempo. As fêmeas tem aparições relâmpagos e a presença delas determina o ritmo de atividade dos machos. O macho que se apresenta, salta alternadamente em circulo, em sentido horário emitindo fortes chamados e exibe as penas da cauda e as filigranas para a fêmea que o assiste. Quando a fêmea "simpatiza" com o macho que se exibe, rapidamente ela desce até a clareira e é copulada por ele, evento que ocorre em fração de segundos, então a fêmea parte. Nem sempre os machos, que são polígamos, se exibem com sucesso cortejando a fêmea.
A fêmea bota 1 a 2 ovos brancos com pintas marrons. O ninho em forma de tigela é feito de lama, gravetos, fibras vegetais e resina vegetal, instalado em fendas úmidas de penhascos rochosos e entradas de grutas, geralmente localizados próximo a um curso d'dágua. O macho não tem participação na construção do ninho, na incubação dos ovos e nem na alimentação da prole.

Alimentação
Sua dieta é principalmente a base de frutas e com isso desempenham um papel importante na dispersão das sementes de várias espécies de árvores florestais, principalmente nos locais onde são feitas os cortejos pré-nupciais e nos ninhos. Além de frutos, ele inclui na dieta insetos e pequenos vertebrados, principalmente na alimentação dos filhotes no ninho.
Predadores



ANAMBÉ-POMBO



Anambé-pombo

O anambé-pombo é uma ave passeriforme da família Cotingidae. Também conhecido como anambé-açu, anambé-grande, anambé-pitiú e pombo-anambé.

Características
Mede cerca de 36 cm de comprimento. Tem os lados do pescoço nús e vivamente coloridos de azul, o que contrasta com a densa plumagem negra de seu corpo. Suas asas (azul) e cauda também são longas, mas a cabeça parece pequena em relação ao corpo. Já a fêmea é menor e possui a plumagem cor de ardósia.
O anambé-pombo (Gymnoderus foetidus (L.)), também conhecido pelos nomes de anambé-açu, anambé-grande, anambé-pitiú e pombo-anambé, é um anambé da Amazônia que vive em grupos no interior da mata. A espécie possui cerca de 36 cm de comprimento, com plumagem rica, dorso negro, lados do pescoço nus e azuis e longas asas cinzento-esbranquiçadas; a fêmea é menor, mais delgada e com coloração de ardósia.
Etimologia
"Anambé" vem do tupi anã'bé. "Açu" é derivado do tupi wa'su, "grande". Tanto o termo latino foetidus quando o termo de origem tupi "pitiú" têm o mesmo sentido: cheiro ruim.


ABAIXO OUTROS TIPOS DE ANAMBÉ(LINDOS!!!!)























sábado, 6 de outubro de 2012

CISNES


Os cisnes são aves aquáticas da subfamília Anserinae, que inclui também os gansos. No seu conjunto, formam o género Cygnus, sendo caracterizados pelo longo pescoço e por patas curtas. A sua distribuição geográfica é diversificada, sendo os cisnes do hemisfério norte brancos, enquanto que os do hemisfério sul apresentam plumagem por vezes colorida. Os cisnes formam casais monogâmicos e constroem ninhos onde chocam entre 3 a 8 ovos. Se a nidificação falha, é comum os membros do casal procurarem outro parceiro.

O Cisne-negro (Cygnus atratus) é uma ave aquática australiana, pertencente à família Anatidae, a mesma família dos patos, gansos, e demais cisnes. É a ave oficial do estado da Austrália Ocidental. Podem-se encontrar em todos os estados da Austrália. O animal adulto pode pesar até 9 kg. Ao contrário de muitas outras aves aquáticas, os cisnes negros não têm hábitos migratórios. Passam a sua vida no local onde nasceram.

Hábitos

Nidificam em grandes aterros que constroem, no meio de lagos poucos profundos. Os ninhos são utilizados de ano para ano, reparando-se e reconstruindo-se quando necessário. O ninho está tanto ao cuidado do macho quanto ao cuidado da fêmea. Quando as crias já estão aptas para nadar, com a sua plumagem definitiva, é comum ver famílias inteiras em busca de alimento nos lagos.

Cisne Negro Cygnus atratus O Cisne Negro tem como origem a Austrália, é comum no oriente e ocidente do continente, se ausentando na área árida central e na parte úmida do norte, também é encontrado na Tansmania. Não é uma ave migratória mas percorre grandes distancias a procura de alimentação. Foi introduzido na Nova Zelândia, onde se reproduziu de tal forma, que se transformou em uma praga.
Foi controlada esta superpopulação e agora existe uma colônia de 60.000 aves Habita os lagos, mas pode ser encontrado em qualquer local que tenha água incluindo a costa marinha e ocasionalmente o mar aberto.
Demonstra preferência por lagos onde pode alcançar com seu grande pescoço a vegetação aquática no fundo a uma profundidade de um metro. Aninham durante a temporada de chuva em colônias muitas delas com os ninhos muito próximos um do outro. Uma vez acasalados os cisnes permanecem por toda vida Fazem o ninho em pequenas ilhas ou ao redor dos lagos e muitas vezes sobre as plantas aquáticas, normalmente o ninho é uma acumulação de plantas aquáticas e pode alcançar grandes proporções consideráveis, dois ,metros de diâmetro por um de altura.
A ninhada consiste de quatro a sete ovos verdes pálidos, podendo ser encontrados até dez ovos, a postura é feita a freqüência de um ovo por dia e o choco começa após a postura do ultimo ovo, tanto o macho quanto a fêmea realizam a incubação sendo que a fêmea fica a maioria do tempo e o macho sempre ao redor do ninho, atacando qualquer animal que passe por perto inclusive o homem, o nascimento acontece ao redor de 35 dias.
Os filhotes nascem brancos e como os outros cisnes passeiam nas costas dos pais quando pequenos, começam a voar após os seis meses de idade e ficam adultos a partir de dois anos. Ambos os gêneros possuem a mesma aparência , de comprimento entre 1,2 a 1,4 metros, os machos (6,3 a 8,7 kg)são um pouco maiores que as fêmeas (5,1 kg), as asas com extensão de 1,6 a 2 metros.
Para os mais observadores pode se notar uma diferença de comprimento de rabo entre macho e fêmea, observa-se os animais dentro da água pelo ângulo e comprimento de rabo formado entre, rabo e nível da água, o rabo do macho é maior. A alimentação deve ser oferecida ao lado da água do viveiro ou sobre a água, ração de postura de galinha e verdura, deve se tomar muito cuidado para não estragar a ração através da umidade
Características
A plumagem desta ave é negra, excepto nas pontas das rémiges que são brancas, embora pouco visíveis; o bico é vermelho excepto na extremidade que é branca. As asas chegam a ter 2 metros de envergadura

Habitat

Esta ave é originária da Austrália, onde tem o seu habitat natural, existindo também populações em estado selvagem na Nova Zelândia onde a ave foi introduzida. Vive em lagos e lagoas de água doce, podendo em certas épocas ser avistada em zonas da costa

Hábitos

É uma ave sedentária (não migra) e forma colónias. Alimenta-se, sobretudo, de vegetação aquática mas também pode ser vista a pastar nas margens. A espécie nidifica em grandes ninhos formados por vegetação construídos pelo casal, em lagoas ou lagos pouco profundos, ninhos que são utilizados de ano para ano e reparados e reconstruídos, se necessário. Quando as crias já estão aptas para nadar, com a sua plumagem definitiva, é comum ver famílias inteiras em busca de alimento nos lagos.

Reprodução

A postura varia entre 5 a 6 ovos. O período de incubação pode ir até 40 dias. Poucas horas depois da eclosão, as crias abandonam o ninho seguindo os pais
Estatuto de conservação da espécie
"Pouco preocupante", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

O cisne-de-pescoço-negro (Cygnus melanocoryphus) é uma ave anseriforme da família Anatidae típica do sul da América do Sul. O cisne-de-pescoço-preto pode figurar na lista das preciosidades ornitológicas. Distribuído pelo sul do Brasil e Chile, é também encontrado no Uruguai, Paraguai, Argentina, Terra do Fogo e Ilhas Malvinas. Sendo um pouco menor que seus parentes do hemisfério norte, o cisne-de-pescoço-preto atinge 1 m de comprimento; é todo branco, com exceção da cabeça e do pescoço, que são pretos. Tem uma carúncula vermelha sobre o bico e uma listra branca que corre dos olhos até a nuca.
O Cisne-de-pescoço-preto é ave gregária e de hábitos sedentários. Vive perto das lagoas e, particularmente, próximo ao mar, alimentando-se de plantas aquáticas. É excessivamente arisco e, quando pressente o perigo, levanta vôo com grande alarido. Desajeitado no andar, precisa correr alguma distância para levantar vôo. Produz com as asas um ruído especial que, mesmo nos vôos em bando, se mantêm cadenciado, pois todos os elementos do grupo batem as asas ao mesmo tempo.
Características
Distribuição geográfica: Sul da América do Sul Habitat: Lagos, lagunas e pântanos Hábitos alimentares: Onívoro Reprodução: No estado selvagem, a estação de procriação começa em Julho e estende-se até Novembro. Os ninhos são normalmente construídos perto da água, em vegetação grossa. Utilizam muitos paus e palhas para cobrirem os ovos. A fêmea põe entre três a seis ovos que eclodem após 36 dias de incubação. A fêmea choca os ovos enquanto o macho preocupa-se em proteger o território. Comportamento: os cisnes-de-pescoço-preto são muito bons pais. Por vezes podemos avistar os filhotes passeando montados nas costas dos pais. Tempo de vida: Aproximadamente 25 anos Tamanho: 1 m de comprimento Alimentação: Plantas aquáticas, sementes, vegetais, pequenos insectos e moluscos. Estatuto de conservação:Não é considerada uma espécie ameaçada,"LC" (least concern ).
O cisne-pequeno ou cisnes-da-tundra (Cygnus columbianus bewickii) é uma ave anseriforme que nidifica no Ártico, mas que migram para longas distâncias a fim de passarem o inverno na Europa, China, Japão e Estados Unidos.
As crias acompanham os pais nessa migração com apenas 3 meses de idade. As fêmeas põem os ovos num ninho de musgo e juncos, em solo apaulado, perto de água. Em geral, forram-no com penugem que a fêmea arranca do peito para manter os ovos quentes.
Estudos recentes realizados nas populações invernantes nos Países Baixos mostraram que o cisne-pequeno sofre uma autêntica remodelação interna durante os cinco meses de migração, alongando o intestino de 2,5 metros para 4 metros. Pouco antes da migração para norte, e durante a migração propriamente dita, o intestino volta a reduzir-se a 2,5 metros. Esta adaptação permite ao cisne-pequeno tirar o maior proveito da sua dieta que durante o Inverno é constituída quase exclusivamente por erva. Apesar deste tipo de alteração ser relativamente comum entre aves migratórias, a extensão desta no cisne-pequeno é particularmente notável.

O cisne-bravo (Cygnus cygnus) é um cisne nativo do hemisfério norte. É o animal nacional da Finlândia e aparece nas moedas finlandesas de 1 euro.
O cisne-bravo é idêntico em aparência ao cisne-de-bewick. Contudo, é maior, seu comprimento é de 140 a 160 cm, suas asas de 205 a 235 cm e um peso que alcança 8 a 15 kg. Sua cabeça tem uma forma mais angular.