Lindos Pássaros

domingo, 29 de janeiro de 2012

CURIÓ


Curió

O curió é uma ave passeriforme da família Emberizidae, conhecido também como avinhado, bicudo e peito-roxo (Pará). Seu nome científico denota um erro, pois é uma ave encontrada exclusivamente nas américas.


O curió é muito estimado por seu canto, por isso é um dos pássaros canoros mais caçados e engaiolados por criadores, chegando ao nível de redução significativa de sua população em seu ambiente natural.


Seu nome, na linguagem indígena, significa “amigo do homem”. Por extensão, não podemos afirmar que o homem seja propriamente um amigo do curió, reduzindo seu habitat natural, caçando-o impiedosamente e fazendo desse pássaro um verdadeiro ícone de disputas de canto e de comércio desenfreado, que funciona nos meandros e muitas vezes na marginalidade das leis de proteção ambiental, beirando a imoralidade gananciosa e permissiva.


Atualmente o curió, assim como muitos outros pássaros brasileiros, encontra-se ameaçado de extinção, em decorrência da caça e comercialização que visam o mercado dos criadores (legal ou ilegal) e da destruição de seus ambientes naturais.


Tem como sinonímia Oryzoborus angolensis.


Ameaças


Muito procurado como pássaro de gaiola (Sick 1997). Esta é considerada a principal ameaça e causa de seu desaparecimento das regiões mais habitadas do país (Machado 1998). A grande pressão de caça a essa espécie pode ser constatada nesse trecho em que Willis & Oniki (1993) dizem que essa atividade “é incrivelmente eficiente para eliminar uma espécie anteriormente comum, exceto em lugares onde nós não dizemos para ninguém que ela existe”.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Pardal-doméstico























pardal-doméstico (Passer domesticus) é uma ave da família Passeridae. A sua distribuição geográfica compreendia, originalmente, a maior parte da Europa e da Ásia, tendo sido introduzido acidental ou propositadamente na maioria da AméricaÁfrica subsarianaAustrália e Nova Zelândia. É actualmente a espécie de ave com maior distribuição geográfica no mundo.
O pardal-doméstico está muito ligado às habitações humanas, e encontra-se vulgarmente perto de qualquer aglomerado habitacional humano, perto dos quais esta ave se reproduz facilmente.

Faz os seus ninhos debaixo de telhas, em buracos, cavidades, etc., como também pode construir um ninho no exterior, por exemplo em árvores ou arbustos; também é frequente ocuparem ninhos de outras aves.
Trata-se de um animal com entre cerca de 14–16 cm de comprimento. O macho da espécie possui uma coroa, bochechas e parte inferior do corpo cinzentas e é preto na garganta, parte de cima do peito e entre o bico e os olhos. Durante o Verão o bico torna-se azul, quase negro, e as pernas castanhas. No Inverno, a cor da plumagem é esbatida por tons pálidos e o bico adquire uma cor castanho-amarelada. A fêmea não possui cor preta na cabeça ou garganta, nem coroa cinzenta. A sua parte superior é raiada de castanho. Os juvenis possuem uma cor ainda mais castanha que a fêmea, e o branco é substituído por cor de couro, sendo o seu bico amarelo pálido.
O pardal-doméstico é, por vezes, confundido com o mais pequeno e esbelto pardal-montês, que, no entanto, possui uma coroa castanha e não cinzenta, duas barras de cor distintas nas asas e uma mancha preta em cada bochecha.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Guaruba ou Ararajuba


Guaruba ou Ararajuba (Guaruba guarouba ou Aratinga guarouba) é uma ave psitaciforme do norte do Brasil, atualmente em risco de extinção, da família dos psitacídeos. Tais aves chegam a medir até 34 cm de comprimento, possuindo uma plumagem amarelo-ouro com rêmiges verdes. Também são conhecidas pelos nomes de aiurujuba, arajuba, ararajuba, ajurujuba, ajurujubacanga, guamba, guarajuba, guarujuba, marajuba, papagaio-imperial e tanajuba. A guaruba é atualmente do gênero Guaruba, e a única espécie desse gênero.

Cardeal-da-amazônia















O cardeal-da-amazônia (Paroaria gularis) é uma ave que vive na região da Floresta Amazônica, em matas de várzea e beira de rios. Tais aves medem cerca de 16,5 cm de comprimento, com garganta vermelha com mancha negra.


A Rendeira

A rendeira (Manacus manacus) é uma ave passeriforme da família Pipridae, encontrada dasGuianas à Argentina, de coroa, costas, asas e cauda negras, partes inferiores e colar brancos e pés laranja. Durante a dança pré-nupcial, a ave produz estalos semelhantes àqueles produzidos durante a confecção de renda na almofada de bilro. Também é conhecida pelos nomes de atangaratinga, barbudinho, bilreira, cabeça-de-prata, corrupião, maria-rendeira, monge, mongo, mono, quebra-nozes, rendeira-branca, rendeiro, tangaratinga e uirapuru.

domingo, 1 de janeiro de 2012

Flamingo






















FLAMINGO
O flamingo é uma ave phoenicopteriforme da família Phoenicopteridae. Conhecido também
como flamengo, flamingo-grande, ganso-do-norte e ganso-cor-de-rosa.
Mede de 102 a 122cm. de comprimento e 90cm. de altura. A fêmea é um pouco menor. As asas são grandes, a cauda é curta, as pernas e o pescoço são longos, as pernas e os pés são vermelhos.
Para alimentar-se coloca seu bico na água e a língua segura o alimento desejado. A forma e o tamanho do bico funcionam como uma bomba e ao mesmo tempo um filtro da água que é sugada junto com o alimento.





















Alimenta-se basicamente de plâncton, algas, insetos, larvas, crustáceos e pequenos moluscos. A coloração avermelhada de suas plumas deve-se à ingestão de alimentos ricos em carotenóides.
Constrói um ninho de lama em forma de cone, com a parte de cima formando uma panela rasa. Põe apenas um ovo (às vezes, no chão), grande, de cor branca e com a casca dura. Depois de 28 dias de encubação nasce o filhote. Nos primeiros meses ele apresenta uma coloração cinza e branca e só atinge a maturidade de sua plumagem aos 3 anos de idade.
Habita lagoas salobras rasas sem vegetação, próximas ao mar. Trata-se de uma espécie bela e rara. Alimenta-se, descansa e se reproduz em grupos de tamanhos variáveis, freqüentemente grandes, embora alguns indivíduos vagueiem solitários. Seu vôo é rápido e direto, com batidas firmes de asas; pescoço e pernas esticadas. No Brasil, a espécie encontra-se ameaçada de extinção na última área em que ainda é encontrada, o Estado do Amapá, devido ao estabelecimento de plantações de arroz na região das lagunas, às salinas ao longo da costa, à caça predatória e à captura de seus ovos.
Origem: wikiaves